Com os Degolados marchar, marchar!

Com os Degolados marchar, marchar!

Com os Degolados marchar, marchar!

Abasteça-se de lenços e permita a entrada de pele de galinha, temos pela frente um mês daqueles

Ana Luís Bogalheiro / Aqui Há Beira

É no diálogo entre Maria João Pires e as teclas do Piano que encontramos, entre as pedras do antigo celeiro, palhas que voam e pousam no mais íntimo dos nossos pensamentos. Não são palhas de cereais como as que antigamente por aqui havia, são fragmentos da nossa imaginação que aproveitam para esvoaçar fugindo ao mundo lá de fora que as mantém cingidas às regras, ao expectável e ao socialmente aceitável. Aqui as cordas do piano vêem-se ao longe no reflexo brilhante do piano a vibrar e com elas vibramos também, poderá ser da pianista ou de quem a acompanha neste diálogo, poderá ser das ideias que, entretanto, pairam no ar cruzando-se e dançando com tantas outras que se lhe foram juntando, mas é de certo pela música.

No dia 22 de Novembro celebra-se o dia de Santa Cecília, padroeira dos músicos. Reza a história que Cecília, moça devota, foi condenada à pena capital, que naquela altura era sinónimo de degolação, mas depois de três fortes golpes o carrasco foi incapaz de separar a cabeça do corpo e Cecília permaneceu por três dias no chão a tecer louvores ao seu Deus e a cantar em sua honra. Não tivéssemos celebrado o dia das bruxas há tão pouco tempo e todo o cenário sangrento pareceria ainda mais ‘horribilis’. A verdade é que o dia aí está para se celebrar sem sangue nem condenas, com muita música sacra ou não, mais ou menos contemporânea, a solo ou em ensemble.

No dia 23 o Piano é Deus e Senhor no Município de Castelo Branco, na sede de concelho a Gala Concerto de Piano reúne pianistas de todo o mundo: Bruno Belthoise, Jill Lawson, Jorge Moyano, Katariina Liimatainen, Luisa Tender, Luís Pipa, Manuel Araújo, Paulo Álvares e Paulo Oliveira, todos no Concerto Gala de Piano no Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Banco, às 21h30, uma celebração promovida pela EPTA-Portugal que é como quem diz a Associação de Pianistas e Professores de Piano, que de 22 a 24 de Novembro reúne na cidade albicastrense, com direito a Workshops, palestras e concertos vários. Em Escalos de Baixo, freguesia que há muito se ‘avezou’ a ser notícia, Maria João Pires dialoga com o italiano Daniele Rinaldo e com o russo Petr Limonov num concerto que se inicia às 18h30 no dia 23, mas atenção que no dia 24 o começo está marcado para as 16h30, não se atrase que todos os segundos contam para libertar os pensamentos e viajar.

Instagram Belgais Center for Arts

E, já que estamos em Belgais, este mês o Centro de Artes está ao rubro com um Recital de Piano de Matan Porat, o aluno da virtuosa anfitriã Maria João Pires, traz-nos o Carnaval de Schumann mesmo a tempo do advento para apreciar ritmos intensos e alegres intervalados por movimentos mais meigos, quase lânguidos, tudo a lembrar que o advento tem fim e depois da espera há todo um calendário por cumprir, marque já na sua agenda dia 6 de Dezembro às 21h00.

Ainda em Belgais, e depois de nomes internacionais tão afamados, Maria João Pires volta a convidar o luso Júlio Resende para o segundo Diálogo da série, mesmo a tempo do Natal, é nos dias 14 e 15 de Dezembro, sendo que a primeira apresentação será às 18h30 e a segunda às 16h30. Depois de uma primeira estadia em Belgais, em Setembro, Júlio Resende regressa para fazer ecoar o piano do antigo celeiro.

“Ein Bühnenweihfestspiel” ou por outras palavras uma ‘Peça de Festival de Palco’ que é como Wagner define a sua última obra: Parsival; é o mote para o próximo concerto do João Roiz Ensemble que desta feita se faz acompanhar por quatro acordeões, ficamos na expectativa de perceber como poderão estes oito intérpretes traduzir as obras de Wagner, e por isso vamos marcar presença no dia 7 de Dezembro, às 18h00, no C.C.C.C.B. e como é sábado podemos sair de casa mais cedo e dar um pulinho até à Sala da Nora ou até ao Museu Cargaleiro.

Novembro a acabar e Dezembro a entrar, é esta a parte do calendário que vamos preencher nesta edição. Como iniciámos com a algo macabra história de Santa Cecília, nada mais coerente do que terminar com uma história de amor, com os seus revezes, é certo, mas que termina com o triunfo do bem para nosso regozijo. Dezembro é o mês do Natal, e não devia haver Natal sem um grande bailado, deveria ser cancelado o Natal ou obrigatória a programação de um romântico bailado para celebrar a quadra. Para que não falte nada, dia 5 o amor do príncipe Siegfried e da princesa Odette vai ser posto à prova mais uma vez. Ela, amaldiçoada e transformada em cisne até encontrar o verdadeiro amor, ele, o príncipe que se deixa levar pela lábia de Odile, um caso comum é verdade! mas até a mais banal história de amor requer lenços de papel se contada entre piruetas e pás-de-deux, com muito tule e sapatilhas. O Russian Classical Ballet vai contar-nos a sua versão do Lago dos Cisnes e depois de um grande ballet estão abertas as portas à época de Natal, mas isso fica para IR na próxima edição.

Até lá marchemos com os degolados, músicos e contratados que lhe permitem encher a agenda. Marchemos para que mesmo depois de inúmeras facadas possa a arte sobreviver, possa a música ecoar, possamos rir e chorar… marchar, marchar.


Share post:

  • /